Receba Dicas Exclusivas
de Finanças e profissões
em seu e-mail. [é grátis!]

Finanças Pessoais

Qual o melhor investimento para 2022?

Qual o Melhor Investimento Para 2022?

Qual o Melhor Investimento Para 2022?

Qual o melhor investimento para 2022 e onde investir seu dinheiro? Renda fixa, fundos imobiliários ou outros que podem verdadeiramente chamar a atenção da maioria dos investidores?

A bem da verdade, o ano de 2022 começou com tudo, no que diz respeito à investimentos, com uma forte promessa de alta de juros já agora para fevereiro, conforme apontava o informe do BC – Banco Central que foi divulgado em dezembro de 2021.

Esse fato é muito bom para a maioria dos investidores, pois estes já podem, logo agora no início do ano, traçar planos e metas de investimentos futuros. E não estamos falando apenas da renda fixa, pois a Bolsa de Valores também promete uma boa rentabilidade, principalmente para quem está disposto a correr um certo risco.

Neste artigo, você vai ficar sabendo qual o melhor investimento para 2022, qual aplicação rende mais, Criptomoedas e muito mais. Confira.

 

O Que Esperar de 2022 na Economia e no Mercado Financeiro?

Não há como negar que, no ano de 2022 no Brasil, a pauta será, sem dúvida alguma, a política, afinal, este é um ano de eleições presidenciais e para o governo dos estados, não esquecendo ainda dos 513 deputados federais, 1/3 dos 81 senadores e os deputados estaduais.

E todo bom investidor sabe de antemão que a política influencia diretamente a economia de um país, positivamente ou negativamente. Ainda em 2021, a palavra da vez para os investidores foi o Orçamento e o Teto de gastos públicos.

Este assunto, inclusive, acabou em desgaste geral no final de 2021, fazendo com que a economia oscilasse bastante, em quase todos os segmentos, gerando um clima mais que tenso tanto na Bolsa de Valores como nos juros futuros.

Outro ponto à ser considerado e bastante relevante é a inflação, que vem seguindo em alta nos últimos meses, influenciando as taxas de juros e o mercado em geral.

Tanto é que, no final de 2021, o BC – Banco Central teve que intervir novamente nos juros básicos, na tentativa de segurar a crescente alta dos preços, elevando a taxa básica, a Selic, de 7,75% para 9,25%a.a.

No âmbito dos juros altos, as perspectivas não são favoráveis, uma vez que o próprio Boletim Focus estima que até o final de 2022 esta taxa de 9,25%a.a deverá chegar aos dois dígitos.

Diante de todo este cenário e ainda considerando a inversão da Selic, que passou de uma mínima para um patamar altíssimo, a maioria dos investidores começaram a apostar alto na renda fixa, que chegou a captar de janeiro até novembro de 2021 cerca de R$ 275,2 bilhões.

Mas afinal, o que esperar e qual o melhor investimento para 2022?

De acordo com alguns especialistas do setor, a Bolsa de Valores surge no “final do túnel” com ótimas oportunidades de investimento para este ano e, acredite se quiser, toda esta instabilidade política provocada pelas eleições pode vir a favorecer uma assimetria bem positiva para a economia.

 

Qual o Melhor Tipo de Investimento Para Iniciantes?

É absolutamente normal que o investidor iniciante tenha muitas dúvidas sobre como e onde investir. Geralmente, procura-se atingir uma saúde financeira melhor, ou para futuras necessidades.

A boa notícia é que começar a investir não é algo extremamente complicado, muito pelo contrário, existem inúmeras alternativas, desde um investidor mais ousado à um mais recatado. Na verdade, investir é um hábito sadio que aproxima você de seus maiores sonhos.

A primeira coisa que um investidor iniciante precisa ter ciência e definição é do seu próprio perfil. Está disposto a correr mais riscos e ter uma rentabilidade maior? Ou prefere apostar em um investimento mais seguro, mesmo sacrificando a rentabilidade?

Basicamente, existem 3 tipos de investidores:

  1. Conservador: esse investidor passa bem longe do risco, preferindo aplicações seguras (com garantias de retorno de investimento);
  2. Moderado: até está disposto a correr certos riscos, mas não muito. É um meio termo entre os dois extremos;
  3. Agressivo: ou arrojado. Este tipo de investidor quer rendimentos maiores e mais rápidos e está disposto (e ciente) a correr riscos para que isso aconteça.

Se você é um investidor iniciante, após identificar o seu perfil, siga as dicas citadas abaixo:

  • Tenha um Planejamento Financeiro: organize suas finanças, antes de pensar em investir. Não dá para deixar de pagar uma dívida, por exemplo, para investir o valor correspondente.
  • Elimine o Máximo de dívidas: tem alguma conta atrasada? Livre-se dela antes de pensar em investir. Não comprometa seu dinheiro, com investimentos, se tiver dívidas a quitar.
  • Trace Objetivos (médio e longo prazos): mesmo que você seja um investidor mais arrojado, seus planejamentos devem ser sempre a médio e longo prazos. Para este tipo de definição, faça a seguinte pergunta a si mesmo: porque quero investir meu dinheiro?
  • Tenha Sempre uma Reserva Emergencial: mesmo para grandes investidores, a reserva emergencial sempre se faz necessária. É aquele dinheiro que pode ser investido e resgatado a qualquer instante, mesmo com uma rentabilidade menor.
  • Conheça os Tipos de Investimento: não precisa ser um expert, mas é necessário adquirir um conhecimento básico sobre os principais tipos de investimento, antes de optar por este ou aquele.
  • Pratique a Paciência: mesmo investimentos de maior risco, que costumam rentabilizar mais rápido e melhor, a pressa nunca será amiga da perfeição. Então, pratique a paciência, tenha disciplina e mantenha o seu planejamento financeiro.

 

Qual é o Melhor Investimento Para Quem Tem Pouco Dinheiro?

Qual é o Melhor Investimento Para Quem Tem Pouco Dinheiro

Qual é o Melhor Investimento Para Quem Tem Pouco Dinheiro

Algumas pessoas ainda acreditam, erroneamente, que não é possível investir com pouco capital. Isso é um terrível engano, pois existem muitas alternativas de investimentos sólidos e que rentabilizam, mesmo que você tenha inicialmente, pouco dinheiro para investir.

Tecnicamente, você precisará ter ciência de dois pontos fundamentais:

  • O seu verdadeiro perfil de investidor;
  • E o fato de que não existe um investimento perfeito, com “0” (zero) de risco.

A partir disso, confira abaixo algumas alternativas e possibilidades:

·        Investir a Partir de R$30,00

Mesmo com apenas R$30,00, o mercado oferece opções muito seguras e que, em geral, rendem bem mais do que a poupança, como por exemplo, os Títulos públicos. Confira algumas opções:

  • Tesouro Selic: possui rendimentos pós-fixados que acompanham a taxa básica de juros (Selic).
  • Tesouro pré-fixado: como o nome já denuncia, possui uma taxa de rendimento pré-definida em um percentual no momento da contratação, ou seja, o investidor já sabe exatamente quanto receberá ao fim do período, mantendo o investimento até a data de vencimento.
  • Tesouro IPCA: podemos chamar esta modalidade de híbrida, uma vez que combina a taxa pós-fixada com a prefixada.

 

·        Investir a Partir de R$100,00

Neste caso, além dos Títulos do Tesouro, abrem-se algumas outras opções também muito rentáveis, como:

  • CDB: Certificado de Depósito Bancário, que é emitido pelos bancos para captar recursos. É uma das alternativas de renda fixa mais seguras que existem.
  • FII: Fundo de Investimento Imobiliário. Trata-se de uma modalidade de renda variável, com base no mercado imobiliário.
  • Ações no Mercado Fracionário: são ações na Bolsa de Valores. É bom saber que ao adquirir ações o investidor se torna sócio ou acionista de uma ou mais empresas.
  • ETF: Exchange Traded Fund, ou, mais popularmente conhecido, fundos de índice. Funciona basicamente como um fundo de investimentos composto por diferentes ativos.

 

·        Investir Entre R$500,00 e R$1.000,00

Se você tem um pouquinho mais de dinheiro, amplia-se bastante as opções de investimentos. Isso acontece não exatamente por conta do valor que você tem para investir, mas principalmente porque algumas destas opções possuem um valor mínimo para iniciar a aplicação. Confira:

  • LCI e LCA: Letra de Crédito Imobiliário e Letra de Crédito do Agronegócio. Ambos são títulos emitidos por instituições financeiras, sendo boas opções de renda fixa.
  • Ações (na Bolsa de Valores): por lote, sendo ações ordinárias e preferenciais.
  • BDR: Brazilian Depositary Receipt, ou, mais especificamente, certificado de depósito de valores mobiliários. Basicamente, representa ativos de origem estrangeira, como ações, ETFs e alguns títulos de dívidas internacionais.
  • COE: certificado de operações estruturadas. Trata-se de um investimento que combina características tanto da renda variável como da renda fixa.
  • Debêntures: são títulos de dívidas emitidos por companhias privadas, também para captação de recursos. Sendo assim, são alternativas de renda fixa.

 

Qual é a Aplicação Financeira que Rende Mais?

A pergunta certa neste caso não é exatamente “qual aplicação rende mais” e sim “como identificar as aplicações financeiras certas para você”.

Não há como afirmar, categoricamente, que uma aplicação rende mais que outra, pois isso depende de diferentes fatores (economia, inflação, políticas públicas, etc.) que influenciam a volatilidade do mercado financeiro.

Mas há como minimizar o erro e apostar na aplicação financeira mais rentável do momento. Para tanto, você precisa prioritariamente identificar algumas questões fundamentais:

  • Qual é o tempo que pretende deixar o seu dinheiro aplicado?
  • Qual o valor que você, efetivamente, pretende aplicar?
  • Qual é a sua expectativa de rendimento (considerando médio e longo prazos)?
  • Qual o motivo pelo qual quer investir?

Se você tiver uma resposta segura para todas as questões acima, ficará mais fácil identificar qual é a aplicação financeira que estará rendendo mais, considerando o seu caso e o momento atual do mercado financeiro.

 

Investimento em Criptomoedas

Investimento em Criptomoedas

Investimento em Criptomoedas

Você com certeza já deve ter ouvido falar das Criptomoedas, as moedas digitais que estão cada vez mais populares. Mas ainda pairam muitas dúvidas sobre este tipo de investimento, principalmente no que se refere aos riscos apresentados, em comparação ao mercado financeiro tradicional.

Sendo assim, será sempre prematuro afirmar que é vantajoso ou não investir em Criptomoedas, uma vez que seu valor é bastante volátil, considerando todas as variáveis que interferem diretamente em seu preço.

A ideia é que, sempre que há uma alta variação de valor das moedas digitais, a mesma atraia mais investidores, que, apesar da exposição a um maior risco, veem a possibilidade de altos ganhos e em pouco tempo.

É bom saber que toda esta volatilidade das Criptomoedas se dá pela famosa regra da oferta e demanda. Em tese, quanto mais procurada uma moeda digital for, maior será a elevação de seu valor.

Conclusivamente, antes de investir em Criptomoedas, é importante que o investidor saiba bem quais são seus limites em relação ao risco que estará disposto a correr. Além disso, é importante também acompanhar este mercado, quando for investir.

Hoje existem muitas e diferentes moedas digitais e muita especulação a respeito delas. Tudo se iniciou pelas Bitcoins, mas elas nem sempre são as moedas mais valorizadas. Atualmente, é possível investir em Criptomoedas fracionadamente, a partir de R$100,00.

O ideal é que você consiga diversificar ao máximo o seu portfólio de investimento. Isto quer dizer, em suma, que não é aconselhável fazer uma aposta única, quando o assunto é investir.

Desta forma, você pode até perder um pouco em um determinado investimento. Em contrapartida, estará ganhando mais em outro, surgindo um relativo equilíbrio na rentabilidade e liquidez do seu dinheiro investido.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.